TERRITÓRIOS

Projeto

Projeto

Territórios em Conflito: acompanhamento de processos e consolidação de narrativas sobre sustentabilidade da vida

Projeto implementado em consórcio por Gernika Gogoratuz (GGG) e Gernikatik Mundura (GM), e financiado pela Agência Basca de Cooperação para o Desenvolvimento (AVCD), que procura promover um processo de investigação, formação, ação e incidência em relação ao impacto que o modelo hegemónico neoliberal e patriarcal, e os seus principais agentes, as empresas transnacionais, têm nos territórios.

Para tal, desde 2018 um Grupo de Investigação de carácter internacional integrado por docentes da Universidade do País Basco (EHU), Grupo de Estudos Africanos (GEA) da Universidade Autónoma de Madrid, Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra, Universidade de Tolima (Colômbia) e Centro de Estudos Africanos da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique), realiza um estudo comparado de três casos (Cajamarca/Tolima – Colômbia; Cabo Delgado – Moçambique; e Urdaibai – Euskal Herria), a partir dos enfoques de Desenvolvimento Humano Sustentável (DHS) e Desenvolvimento Humano Local (DHL) estudando quatro eixos de impacto específicos (acesso à terra, desigualdades de género, sustentabilidade; e identidade cultural).

O seu objetivo é recolher lições (em materiais de alto valor pedagógico e num processo formativo, além de outras atividades de socialização e advocacia), que nos permitam, partindo de uma abordagem local-global, feminista interseccional e de diversidade, fortalecer as capacidades coletivas, as resistências e as alternativas de vida das comunidades, face a esta ação transnacional.

Fases do projeto:

Fase I (2018-2019). Investigação, formação e ação para o fortalecimento de capacidades e a construção de alternativas de vida. O objetivo foi o de aprofundar, através de um processo de investigação, formação e ação em 3 territórios, Cabo Delgado (Moçambique), Cajamarca-Tolima (Colômbia) e Urdaibai (País Basco) o conhecimento dos impactos das empresas transnacionais e a construção de diversas ferramentas pedagógicas que, a partir do vínculo local/global e da abordagem de DHS, pudessem fortalecer resistências e alternativas.

Fase II (2020-2021). Acompanhamento de processos e consolidação de narrativas sobre sustentabilidade da vida. Nesta segunda fase do projeto continuamos a focalizar-nos no denominado conflito capital – vida, segundo o qual, habitamos num mundo em que os mercados se sobrepõem à sustentabilidade da vida. Para tal, acompanhar-se-ão outros 2 novos processos locais: Maputo (Moçambique) e Caquetá (Colômbia).

O que é Gernika Gogoratuz?

Gernika Gogoratuz (Recordando Gernika), é um Centro de Investigação pela Paz criado em 1987, no quadro do 50º Aniversário do Bombardeamento de Gernika e realiza o seu trabalho no âmbito da memória e da cultura de paz.
O Centro está apoiado pela Fundação Gernika Gogoratuz. O seu objetivo é «contribuir, de uma forma gerada ou sustentada por uma reflexão científica, e vinculada à cidade e/ou ao símbolo de Gernika, para a obtenção de uma paz emancipadora e justa à escala mundial e no País Basco, em particular; e desta forma cumprir com a Proposta de Lei aprovada pelo Parlamento Basco, no dia 10 de Abril de 1987, de estabelecer em Gernika um Centro de Estudos pela Paz».

Para mais informação: https://www.gernikagogoratuz.org/

Entidades colaboradoras

Entidades académicas

Hegoa – Instituto de Estudos de Desenvolvimento e Cooperação Internacional

Hegoa, Instituto de Estudos sobre Desenvolvimento e Cooperação Internacional, é um Instituto Misto da Universidade do País Basco / Euskal Herriko Unibertsitatea, criado por esta universidade e pela associação Hegoa. As suas origens remontam a 1987. Da sua identidade como instituto universitário e associação civil, tem como âmbito de trabalho a promoção do desenvolvimento humano e da cooperação internacional, contribuindo com investigação e análise, recursos de informação e documentação, ensino de pós-graduação e outros programas de ensino. educação universitária em desenvolvimento e cooperação, geração de capacidades para fortalecer o tecido social da cooperação, assessoria técnica a várias entidades e instituições públicas e programas e projetos de cooperação.

Centro de Estudos Africanos da Universidade Eduardo Mondlane

Fundado em 1976, o CEA é uma unidade orgânica da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) vocacionada para a investigação científica na área das Ciências Sociais e Humanas, com um programa de pesquisa multidimensional que inclui o ensino e o debate permanente de ideias e a divulgação de resultados, orientado por um paradigma informado pelos ideais de igualdade, justiça, responsabilidade e relevância social e contextual dos temas e objectos de estudos e debates

Universidade de Tolima

Em 12 de março de 1955, a Universidade de Tolima foi oficialmente inaugurada em terras pertencentes à Escola Agrária de São Jorge (dos Salesianos). No primeiro semestre de 1956, a Universidade de Tolima contava com a Faculdade de Engenharia Agrária, Escola de Enfermagem e a Escola de Belas Artes. A partir da década de 90, a Universidade de Tolima iniciou a abertura de programas de pós-graduação e abriu caminho para a melhoria do nível académico em todos os seus programas. Actualmente, a Universidade é amplamente conhecida em todo o país pela qualidade dos programas oferecidos no campo das ciências agrárias, com uma tradição de mais de meio século de formação de profissionais

Grupo de Estudos Africanos (GEA) da Universidade Autónoma de Madrid

É um grupo de investigação interdisciplinar especializado no âmbito dos estudos africanos e, em particular, sobre a África Negra. Fundado no ano de 1995 por um grupo de investigadores/as e professores/as, surgiu da vontade de produzir conhecimento crítico sobre as realidades do continente africano em Espanha e em língua castelhana

Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra

O Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra é uma instituição científica dedicada à investigação e à formação avançada nas ciências sociais e nas humanidades, através de uma abordagem inter e transdisciplinar.

Departamento de Ética, Cidadania e Desenvolvimento (DECD) / Faculdade de Ciências Sociais e Políticas / Universidade Católica de Moçambique

Da necessidade de criar espaços de diálogo inter-religioso, intercultural, intersocial, interpartidário, reflectir e unir todas as forças sociais em vistas à construção de uma sociedade fraterna e amante da vida, surgiu em 2009, na cidade de Pemba, a Escola Diocesana de Estudos de Ética, Cidadania e Desenvolvimento, como um curso pós-laboral, de dois anos. Em 2010, começou oficialmente a Escola com um primeiro grupo de estudantes. Por iniciativa do Bispo de Pemba, Dom Ernesto Maguengue, tratou-se com a Universidade Católica de Moçambique (UCM) da sua filiação até ter a licença de funcionamento. E assim foi criado o Departamento de Estudos de Ética, Cidadania e Desenvolvimento, dependendo pedagogicamente da Faculdade de Ciências Sociais e Políticas da UCM. A Escola ficou definida nos Estatutos como uma Instituição de Direito Diocesano, não lucrativa, que busca colaborar, através da formação ética e crítica, na construção de uma sociedade plural, solidária e amante da vida.

Universidade da Amazónia

A Universidade da Amazónia, em Florença, tem a sua origem no Instituto Tecnológico da Universidade Surcolombiana (ITUSCO), cuja sede principal estava na cidade de Neiva, no departamento de Huila. Como uma filial em Florença, iniciou as suas actividades em 1971 oferecendo quatro programas no nível tecnológico: Ciências Sociais, Matemática, Contabilidade e Topografia. Com a Lei 13 de 1976, o ITUSCO-Florença foi transformado numa secção da Universidad Surcolombiana, sendo as suas actividades orientadas por três faculdades: Ciências da Educação, Ciências Agrárias e Ciências Contáveis e Económicas. Em 1982, através da Lei 60 de 30 de Dezembro, promulgada pelo então Presidente da República, Dr. Belisario Betancur Cuartas, a secção da Universidade Surcolombiana torna-se Universidade da Amazónia

Entidades da sociedade civil

Maputo - Moçambique 

WLSA Moçambique (Mulher e Lei na África Austral)

A WLSA (Women and Law in Southern Africa Research and Education Trust) é uma organização não governamental regional (ONG), que faz pesquisa sobre a situação dos direitos das mulheres, em sete países da África Austral: Botswana, Lesotho, Malawi, Moçambique, Swazilândia, Zâmbia e Zimbabwe.

TINDZILA – Centro de recursos de apoio a investigação e formação sobre terras

O Centro de Recursos para Pesquisa e Treinamento em Recursos Terrestres da ONG Tindzila trabalha em estreita colaboração com o Centro Terra Viva e presta assessoria jurídica às comunidades que enfrentam as corporações transnacionais que querem expulsá-las de seus territórios. Especificamente, Tindzila trabalha no Distrito de Palma, na província de Cabo Delgado, assessorando os paralegais comunitários que são aqueles que oferecem assessoria jurídica às famílias camponesas, com o objetivo de reduzir as injustiças que estão ocorrendo no governo dessas terras costeiras da província de Cabo Delgado, por parte da indústria extractiva de gás e alguns interesses governamentais.

ascha

Associação Sócio Cultural Horizonte Azul (ASCHA)

A ASCHA é uma pessoa coletiva, jurídica e juvenil que congrega maioritariamente mulheres jovens e raparigas que trabalham em prol da promoção e proteção dos direitos humanos, empoderamento, igualdade de género, em particular das crianças, adolescentes e jovens órfãos e vulneráveis. Defende uma identidade feminista de igualdade onde meninas e meninos têm as mesmas oportunidades de aceder recursos afectivos, materiais e financeiros que garantem a sua autonomia e melhorem as condições de sujeitas e sujeitos de direitos nas comunidades. A sua missão é promover o desenvolvimento local através da educação, formação, comunicação, arte, cultura e advocacia para eliminação de todas as práticas sociais, culturais, religiosas e tradicionais nocivas a saúde e a vida das raparigas e mulheres jovens nas comunidades de Moçambique. O seu objetivo geral é desenvolver atividades essenciais para a integração socioeconómica, cultural e política de crianças, adolescentes e jovens e suas famílias em situação de vulnerabilidade.

Cajamarca (Tolima) - Colombia 

Comité Ambiental em Defesa da Vida
Corporação SOS Ambiental

O Comité Ambiental em Defesa da Vida é uma plataforma para a integração e o trabalho colectivo de organizações sociais, grupos ambientalistas, corporações, fundações, colectivos estudantis, camponeses, povos indígenas, meios alternativos e pessoas independentes, cujo objetivo é promover ações públicas em defesa da água, vida, território e direito colectivo a um ambiente saudável. Surge em 2011 como parte do processo histórico de movimentos socioambientais na Colômbia e na América Latina, assumindo como aprendida a experiência de mobilização, resistência e articulação desses movimentos. Esta iniciativa é organizada com quatro finalidades: i) reconhecer e recolher o trabalho das organizações e suas bases sociais; ii) acomodar todos sem preconceitos políticos ou religiosos; iii) privilegiar os objetivos coletivos mais além dos protagonismos pessoais e iv) mobilizar pensamentos e acções em defesa da água, da vida e do território. Reconhece as comunidades como o principal ator social na defesa ambiental.

A Corporação SOS Ambiental é uma organização que tenta fomentar e fortalecer as acções das comunidades em defesa, cuidado e promoção dos bens patrimoniais colectivos nas áreas ambientais, sociais, económicas e culturais, fundamentados na Declaração Universal dos Direitos Humanos.

IDEASUR-Colômbia e IDEASUR-Gernika-Lumo

Organização não governamental que trabalha em prol da interculturalidade, da cooperação para o desenvolvimento e do co-desenvolvimento. Trabalha por um mundo intercultural que favoreça a integração de pessoas imigrantes, bem como pela educação e a cooperação para o desenvolvimento nos países do Sul.

Urdaibai 

Gernikatik Mundura

A GM é uma ONG nascida em 1995 e que trabalha no campo da solidariedade internacional e da interculturalidade. Desenvolveu numerosos projetos de ajuda humanitária e cooperação em vários lugares do mundo, destacando a sua iniciativa “Hiru izkiña” de intercâmbio comunitário entre Urdaibai, Rif e Caquetá, em colaboração com GGG e Ideasur, o seu trabalho com o Movimento dos Sem-Terra do Brasil, e colaborações recentes com a Fundação Mundukide no norte de Moçambique.

Outras entidades

Urdaibai 

Artez Euskara Zerbitzua

ARTEZ Euskara Zerbitzua Somos uma equipa dedicada à consultoria linguística, com uma vasta experiência de mais de 20 anos na implementação, desenvolvimento e gestão de planos em basco em empresas e instituições